sábado, 18 de setembro de 2010

Artigos

O ciúme no decorrer do tempo
Por mais que a psicologia tente explicar o ciúme como sendo parte de mecanismos psicológicos infantis, como consequência do Complexo de Édipo não resolvido, como o temor da perda, como sentimento de caráter instintivo e natural ou a falta de confiança no outro e/ou em si próprio, o que importa para nossa reflexão hoje é: porque será que o ciúme ainda persiste em sobreviver ao tempo e aos diversos modelos de sociedade?
O medo de um novo relacionamento
Relacionar-se não é tão difícil como propalam alguns, mas é algo de bastante complexo, pois as pessoas provêm de diferenciadas formas de educação, experiências e histórias de vida. Entretanto, o medo mórbido pelo qual os indivíduos têm se esgueirado de relacionar-se com o outro, seja de que maneira for e seja ele quem for, tem feito o mundo interior dessas pessoas ficar mais frio. Como poderíamos nos precaver, sem nos fechar para o que a vida nos oferece?
VOCÊ É RESILIENTE?
Se você acha curiosa essa pergunta, seria bom que lesse mais a respeito? Há palavras em nossa língua que não são muito, ou devidamente, usadas, ou são pouco conhecidas do grande público. As pessoas pressupõem de tudo. O que seria ser resiliente? Pode-se optar pelas mais diversas possibilidades.
FELICIDADE: um pouco de paz
Algumas pessoas acham que podem e devem ser felizes a qualquer custo. Todavia já está provado pela prática da vida e a experiência cotidiana que isso geralmente não acontece. E quando ocorre, algo no fim do túnel acaba com a alegria destas pessoas que só visam seus interesses particulares. A felicidade existe como uma condição para todos? A felicidade existe como uma circunstância para todos? E se é uma condição inerente ao humano, seria ela uma condição a priori, recebida como um prêmio?
Oferecido por Artigonal.com

2 comentários:

  1. Infeliz de quem não for resiliente nessa sociedade constituída de "resiliências sanfonais". O indivíduo hoje, por força das exigências conjunturais, é levado a ser dessa forma, caso contrário não terá muito tempo para tentar ser.
    Mamãe se viva fosse, diria-nos que "isso não é coisa que dá em poste!" Morto não tem essa oportunidade.
    Temos que ser multifacéticos, para sobreviver às agruras da vida. Afinal somos brasileiros, desenvolvemos o "jogo de cintura" o ano inteiro, somos "sambeiros" e porque não, "resilieiros"?
    Em tempo: Agora ficou mais fácil e não vou mandar mais aquele emaranhado de e-mail chato para você!
    Beijos e saudações lítero-pedagógicas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é uma figura especial mesmo. Sempre poético e bem humorado.
      Te adoro, amigo.
      Beijos e um sempre obrigado.

      Excluir

Se precisar entre em contato por: revisora_janice@gmail.com